16 outubro 2009

O Teu Olhar

O Teu Olhar


O teu olhar,toque sutil
vindo do teu profundo ser
tua alma...aquela que me abraça
me deixa sem reação,
me faz ser a reação

Desperta a criança que só deseja
crescer...e ser o seu único homem,
sem saber para onde ir,
mas sabendo como chegar
como consegue brincar com a dúvida ?

Me enfeitiça lentamente,
me leva à cegueira absoluta,
a cada vez que os repousa lentamente
me negando a luz dos teus olhos
não seja cruel...

Sabes que de teus olhos faço
o meu farol, o meu retorno certo
a todas aquelas sensações
que despertam, quando lembro de ti
quando chego perto de ti...

Não me negue esse sorriso,
que nasce em seus olhos
e se espalha pelo meu ser
como uma brisa, que refresca
lentamente o meu olhar

Que se esquece das horas
das estações, do passado
e só pensa em ser presente
no teu presente, momento
que vivo quando vejo o seu olhar


Magno Pinheiro

2 comentários:

sandra disse...

E nesse instante penso em olhos que brilham ao me ver, em brilhos distintos e “brilhares” ensurdecedores, em meios e emoções despertas e em retinas que constroem imagens diferentes de mim... e nesse recordar-se me indago e questiono-me: onde residir? Em meus mais sôfregos delírios de vermes internos por coisas brilhantes? Ou no brilho desperdiçado do olhar amigo que me atrai... onde definir-me? NO TEU OLHAR!!!


AMEI MAGNO O NOVO POEMA!
ABRAÇO SINCERO! ;D

Anônimo disse...

Ao desnudar-me assim
Sob teu olhar mavioso
Entre sonho e realidade
O coração oscilante
Meu corpo só quer sentir
Todo o encanto e magia
Dos teus dedos famintos
Desenhando minha anatomia...