05 outubro 2009

O Inevitável

O inevitável


Não seria estranho dizer,
que palavras sem um apego
sem um enlaço, sem um calor
que emana de outro corpo
seriam palavras sem destino ?

O que elas seriam então ?
Uma tentativa de prever o futuro ?
De instigar uma vontade viva ?
De contruir uma vontade tão forte
que linhas seriam a menor distância ?

Por menor o que se deseja dizer
Por maior o que se deseja expressar
A vontade de não perder, de reencontrar
Se transforma em luz, que guia o caminho
Do enfrentar, do novo vivenciar

E todos somos crias desse desejo
não seria diferente para mim
e tão pouco para você
que lê e imagina, e imagina enquanto lê
se aprofundando em pensamentos não tão obstantes

Tudo o que lhe passa na cabeça
Tudo o que evitou pensar,
Ignorando oportunidades
Mesmo sabendo que tudo na vida
Não passa de chances, para se fazer sorrir

E se deixar sonhar, quando os pés
tocam no sonho tão aguardado
Aquela sensação única que transforma
a questão óbvia no inevitável...


Está feliz ?


Magno Pinheiro

3 comentários:

Chris disse...

Se estou? uhm...é um estado de espírito e, geralmente, passageiro... depende da percepção de 'felicidade' ou do conceito de cada um...=)

Aline Almeida disse...

Não estou, eu tenho... longos momentos de felicidade!

sandra disse...

...Entende o olhar, sem nada falar...
percebe o afeto, sem nada dizer
O que dizer da Poesia
que a voz embarga e fascina?
um gesto mudo...imperceptível
que o coração receia ler...

o importante é ser feliz!!! <===[lembras?!]

outro bjo! ;)