31 dezembro 2009

Temos a tendência

Temos a tendência


Temos a tendência a questionar idéias
Pessoas em formas de pensamentos
Pensamentos com formas ocultas
Criadas no imaginário, no será...

Temos a tendência a achar
E depois esconder, e novamente achar
Nos achados e perdidos do tempo
Tudo aquilo que gostariamos de amar

Temos a tendência a congestionar,
Ruas desertas com palavras apressadas
Fluentes, compreensíveis, incompreensíveis
A todos aqueles que as desejam escutar

Temos a tendência a simplesmente sermos
Dentro de tanta imaginação,
Um questionário infinito de fantasias
Criadas em algum momento, em algum lugar

Temos a tendência a simplesmente viver
Famintos, amedrontados, inabalados
Mas com a certeza de que tudo que vivemos
Não aconteceu a toa, nós tivemos que passar

Temos a tendência a brincar com as cores
Colorir facetas, quadros, máscaras
Em uma nova pintura, que somente
Os nossos olhos puderam captar

Temos a tendência a capturar,
Em um egoísmo mundano
Tudo aquilo que veneramos
Para depois ao tempo, largar

E...

Temos a tendência de juntar palavras
Achar que delas somos donos, quando
no final das contas, aos pés delas
nunca deixamos de estar.


Magno Pinheiro

Um comentário:

Chris disse...

"Temos a tendência a brincar com as cores
Colorir facetas, quadros, máscaras
Em uma nova pintura, que somente
Os nossos olhos puderam captar"... eu diria: "colorir facetas, quadros, máscaras Em uma nova pintura, que somente [a nossa mente pode para os outros interpretar](...mas, de fato qd vêm dos outros é o q) 'os nossos olhos puderam captar'. Palavras verdadeiras, realistas...o poeta inspirado fez 'o q se deseja ler'!=***