01 outubro 2008

Visões do que é meu

Visões do que é meu


Não posso deixar o teu rastro
consumir o meu mundo, labaredas que castigam
salientam o calor que guarda em suas palavras
agressividade infantil, egoísmo pueril

Onde em um laribirinto esconde o teu eu
criatura assustadora, dona de verdades
e que só ela pode enxergar,por paredes de vidro
o que vês não pode tocar

Ande a sua volta, seja o seu eixo
crie motivos que me façam fugir
de sua órbita insana, seu pesadelo
seu início, seu fim

Seu eco alardeoso,
chama apenas a atenção de teus ouvidos
cujo a voz corresponde ao teus desejos
de focar no teu peito, um mundo só seu

E por mais dizer, que se encontre na piedade
a serenidade não faria companhia,
pois teu destino ainda está longe de ser
o que um dia os outros desejam de você.


Magno Pinheiro

Um comentário:

fafa disse...

Uhuuuu!!
que orgulhoooo é o meu amigooo virtualll!!! pq eu não o conheco pessoalmente + já tenho um carinho imenso pelo mesmo, e como a esperança é a ultima que morre um dia irei conhecer e seremos grandes amigos (mesmo que a distancia separe um pouco)+ amizade é pra vida inteira!!

=DDDDDDD