02 dezembro 2005

Desonras

Desonras


"Ame a vida que você matou,
pois o desonrado já apagou o passado"
...
Feito de lágrimas doces e cristalinas
contemplo o meu lago chamado "esquecimento"
que afoga sem piedade,
a mancha negra que havia parasitado a sua alma

ACORDE !!!
Não há como respirar...
pulmões lotados de dor,
são gentilmente acariciados
pelo passado que lembra o presente

Ó, Perola Negra,
que fostes acostumada a ser reverenciada
como pode esquecer do mundo que nunca lhe foi negado ?!
ACORDE !!!
pois aqui jaz a triste concepção da realidade.

Ninguém sabe,
nem nunca saberá
do escuro céu que paira
sobre o teu refúgio

Entre o calor e o frio,
o amor é o ódio,
somos apenas máquinas sem culpa (!?!)
programados por desejos ocultos
de entender o que nunca foi dito
pois a escuridão, essa nunca estará longe de nós.

Magno Pinheiro

7 comentários:

Anônimo disse...

muito show esse poema...ele esta falando muita coisa q estou passando e sentindo...parabéns pelo poema muito maneiro!!!!

MalkDcO disse...

Como sempre mto bom seus poemas........um dia desses quero ser igual vc ainda....ahuiahuiah

hauiaha

abraços kra c cuida!

Shanna disse...

Realmente vc está me surpreendendo a cada novo poema... Parabens! Continue assim... BJKS

Fabíola disse...

Oi magno!
tah lindo o poema, mt maneiro!
lindo mesmo!
meio triste neh?! mais...rs!
bjos magno!

Juliane disse...

Vc já até sabe o q eu vou falar né?! Então nem vou dizer nada... Ah, não consigo, é lindoooo! Vc consegue se expressar muitoooo bem!
Bjo
Juliane

thaiana disse...

olha num sei como vc consegue escrever tão bem assim eu num consivo escrever nem um verso !!!!!!
por isso te falo continue assim pq vc tem talento

larissa disse...

Adorei, como todos seus poemas esse está muito bonito, parabéns amor, continue sempre escrevendo essas maravilhas ta bom, bjão.