04 dezembro 2005

A Queda

A Queda


Um colapso vertiginoso
assombra a sua cabeça
para onde quer que você olhe
o horizonte sempre se encontra a dois passos

A queda é inevitável
deite-se ! aproveite a vista !
e economize tempo...
pois o tempo já não pensa mais em você

Milagres são pedidos
a santos com expressões sem vida
não chore, são apenas distrações
apenas não se esqueça,
seus sussurros já não alcançam mais os seus lábios !

Não se importe
com os falsos presságios
hoje apenas um caminho é válido
o da própria revelação !

Veja, no horizonte !
a luz não se apaga !
Faroleiro bendito !
sempre sinalize a luz
para que as crianças da noite
perdidas em seu desespero
possam encontrar quem já se abandonou.

Magno Pinheiro

7 comentários:

Fernanda disse...

Oi Magno é a Fê, menino eu adorei seu poema muito lindo.
Não sabia que você tinha tanto talento para essas coisas, é sério.
Gostei muito Bjs

zardo disse...

massa esse em veio.. bom n tem o q eu dizer... sesu poemas sao otimos... quem sabe vc n vira um grande poeta... tomara kra... bom abraços se cuida

Lucas Vital disse...

Velho mt massa suas poesias, elas são estruturadas e talz.
as minhas são mais "modernas" se é q assim posso dizer! rs..
gostei mt das suas tbm, elas tem força!
abração
se cuida

Juliane disse...

Nossa Magno vc anda bastante inspirado hein?! Que profundo esse poema eu adorei! Sou sua fã!!! ^^
bjooos

Juliane

thaiana disse...

ta mo lindo vc estava inspirado quando fez ta de parabens novamente
bjus

Larissa disse...

Sem comentários, + um pra coleção d poemas lindos q vc escreve, quero um pra mim, faz ai :)
adorei bjos bjos bjos.

Joanna disse...

muito maniero...apesar de ter gostado mais de outros.
beijinhos!
Joanna