27 setembro 2010

Dos lábios teus

Dos lábios teus


Palavras, tom aveludado
Percorrem tua alma, carícias
Ligeiras, buscam o teu calor
Tua pele que se eriça ao toque

De lábios que doam, teu agrado
De voltas que fazem, teus olhos
Murmúrio, o peso inalcançável
Do sabor que em tua pele reside

Do querer, do vício sem cura
Do desejo desenfreado
Que veloz se faz, ao longo
Do venerado sentido de cumprir

O que em outro corpo também vibra
Palavras que no peito nascem
Incompreensíveis àqueles que não escutam
Quando misturadas a brisa, que dos lábios teus

Alimentam o meu ar...


Magno Pinheiro

Um comentário:

Chris disse...

Com a música ficou ainda + extraordinário! :)