01 junho 2006

Incerteza

Incerteza

Enfrento o inverno,
palavras gélidas vindas de sua alma
Alma essa que não me reconhece mais
Apenas um estranho...
Um andarilho sem razão.

Coberto de neve,
Ceda branca que me envolve,
Congele meus sentidos, meus instintos
Me iguale a solidão
que sopraste em minha alma.

E em estradas,
Onde a alva lava não tem fim
Me sinto preso e transtornado
A passos fundos e cansados
Vestindo uma pele grossa
Que agora faz parte de mim

E no alto dessa estrada,
Onde a incerteza me aguarda
Uma única certeza é esperada :
"A de esquecer a estrada
que passou por mim.”

Magno Pinheiro

5 comentários:

Henrique Verfox disse...

muito lindo e profundo isso kra
eh por isso q vc eh meu mestre
huahuahuahu =D
continue sempre assim
vai da um bom poeta

thaiana disse...

muito lindo !!!!!
espero q vc continue sempre a escrever da maneira q vc escreve e nesse poema vc foi muito forte se inspirou muito parabens!!!!!!

Marcelle disse...

Muito bom o que você escreveu, moço... ;]
Parabéns...
Continue assim que ainda vai longe.. hehe!
Bjs..

Dinhão disse...

É meu brother!!!
muito bom...acho q saquei!!!
aUHShuAShuahus
é isso aew abraço brow!

Fabíola disse...

Magno desculpa eu xeguei a passar aqui mais nao comentei soh li o poema!
adorei ta lindo como tds us outrus, vc escreve mt bem!
Continue assim
bjassO =D