27 março 2009

Dúvidas

Dúvidas


Nós temos o mundo, o nosso mundo
Aonde criamos expectativas
Limites, encantos, desencantos
Fingimos e encaramos com um sorrir

O tempo que já foi o tempo
Em um tempo em que o tempo era,
Foi, foi-se, perdeu-se
Criou-se, e imaginou-se

No limiar de idéias, palavras
Dúvidas serenas, sublimes
Sorrateiras, escusas
Estranhas, por que do imaginar ?

Pergunto, perguntas,
Em minha visão, no meu coletivo
No nada de mais, no mais
No menos, subtraio pensamentos

Renegando os de uma forma tão criativa
Que começo a encará-las, na hora de dormir
A desfilar, enfileiradas pelas brechas
Do meu oposto sonhador, meus olhos

Aqueles que vêem o que ao menos
Sei que posso, no mais tocar
Distantes, próximos, reais
Concretos, do mesmo chão que piso

De cor apática, nesse mundo
Nesse mundo, aonde criei,
Expectativas, tentando fugir
Do meu objeto, meu confronto

De cor irreal, estrada de ouro
Aonde possa levar para longe
O que não quero viver
Para bem longe.

No quem sabe,
Uma vez mais,
No quem sabe,
Dúvidas.


Magno Pinheiro

4 comentários:

Nathi disse...

"Mais um passo
Nesse espaço
Tanto espaço
E ainda assim
O mundo é pequeno pra mim"

Magno Pinheiro disse...

ah ele é !!!!

Aline Almeida disse...

Espectativas?
Já ouvi isso em algum lugar!!! hehehe

Aline Almeida disse...

caraca... eXpectativa!!! haha