12 fevereiro 2006

Ranhuras em meu ser

Ranhuras em meu ser


Vejo flores mortas em meu jardim,
sinto o perfume de jasmim;
Me encanto com um choro que não tem fim
desse acalanto cantarolado por mim.
...
Vejo lágrimas a vagar
vindos do azul do seu mar,
que fitam sem pestanejar
o término do que irá se iniciar.
...
Um afago doloroso
mascarado como paixão,
seu sentido pernicioso
nos desviará da razão.
...
Palavras se encaminham
a dura via da ingratidão
ranhuras são marcadas
no meu canto , na minha solidão.
...
Cercado pela minha agonia
encurralado pela decepção
me despeço de mais um devaneio
de mais um longo momento de perdição.

Magno Pinheiro

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=7935910
comunidade que participo e posto alguns dos meus poemas que escrevo aqui

3 comentários:

Catharina disse...

bom poema...eu achei o poema bom...o poema é bom...bom é o poema...eu não sei comentar poemas se é isso que quer saber...

Juliane disse...

Lindo esse poema, sabe q sou fã dos seus poemas né?! Mas eu me identifiquei muito com esse já até gravei ele aki no meu pc pra eu passar pra minha agenda!!!
Beijooo e tenha uma ótima semana!!!

Michele disse...

Como sempre uma obra maravilhosa não podia esperar outra coisa de você, que consegue brincar com as palavras e transformar em poemas lindíssimos ... Traduz um pouco da minha vida .... Você sabe do q eu tô falando ... Bjs